Perguntas & Respostas

AT: Qual foi o jogo da sua vida?

Bilro: Destacava a meia-final da Taça de Portugal, contra o Paços de Ferreira, porque acabei por ter influência no jogo, marcando o golo que decidiu a passagem da U. Leiria à final. Claro que a final é sempre um jogo emblemático, mas a meia-final foi, para mim, mais marcante.

AT: E o colega mais talentoso com quem jogou?

Bilro: Joguei com um talento enorme, que só não fez uma carreira ao nível que justificava porque nunca teve o equilíbrio emocional necessário para saber gerir os diversos momentos da carreira. Falo do Porfírio, com quem joguei nas camadas jovens do Sporting e depois na U. Leiria. Depois também joguei com o Figo e com o Peixe no Sporting e com o próprio João Pinto, com quem me cruzei nas seleções nacionais, e que eram talentos enormes.

AT: Por fim, qual foi o adversário mais complicado que apanhou pela frente?

Bilro: Isso foi o Cristiano [Ronaldo], que apanhei naquele início de carreira dele. Fomos jogar com o Sporting a Alvalade e já nessa altura ele me causou enormes dificuldades, porque tinha uma velocidade tremenda e tecnicamente era também extraordinário.